Translate

sexta-feira, 28 de junho de 2013

Será que digo as vezes suficientes que te amo?

 É porque na verdade eu não te amo simplesmente... Eu amo-te em todos os tempos do verbo amar, até aqueles que eu desconheço. É que te amo mais do que algum dia imaginei amar alguém... Aquilo que sentimos um por o outro é igual a um conto de fadas! Melhor até que um conto de fadas! Porquê melhor? Porque os contos de fadas são histórias inventadas por pessoas românticas, apaixonadas, por alguém que não lhes diz nada! E nós vivemos num conto de fadas que não é inventado nem criado pela frustração de não ser amado, mas sim pelo puro facto de amar tanto alguém!
 Tudo o que eu sonhei até agora se reflecte em ti como um espelho prefeito, em que o reflexo do meu sonho consegue sem mais prefeito do que eu um dia sonhei!
 Tu conheces-me como ninguém e até nos meus maiores defeitos tu vês o declínio da perfeição. Essa é a melhor característica que alguém poderá encontrar no outro que está ali ao seu lado como se aquele sempre tivesse sido o seu lugar...
 Depois disto, da nossa misera vida a trabalhar para pagar todas as dívidas que temos, eu sei que somos só pó, somos pó que se move com o vento e cria formas de corpos que tão de depressa podem estar sobre ou sob a terra... Porque não somos nada mais que pó!
 Mas neste planeta nós somos o único pó capaz de amar e que mais pode dar sentido à nossa vida mundana a não ser o amor?
 E nós, eu e tu, somos o pó mais lamechas do mundo, mas a nossa história será a razão para que o pó que se tenha unido como marido e mulher seja enterrado no mesmo buraco!
 E mesmo quando eu já não abrir mais os olhos, eu sei que faíscas vão percorrer o meu corpo, eu sei que essas faíscas vão se espalhar por todo o mundo até te encontrar... porque o meu pó não pode apodrecer longe do teu, o que nasceu para ficar eternamente ligado fica junto até depois do para sempre acabar.

Tudo isto só para dizer o quanto de amo, porque eu amo-te mais que tudo!
E para dizer que se um dia serei pó sem a capacidade de voar ao sabor do vento, até nesse momento todo o pó que me constitui te irá amar!

quarta-feira, 19 de junho de 2013

Histórias

Conta histórias de encantar e histórias que não deixem as crianças adormecer, ora histórias de terror ora histórias com amantes apaixonados.
Conta-me a história mais bonita que me tenhas para contar que eu não consigo limpar as minhas lágrimas... Mas não me contes histórias de amor, pois eu sei que mais nenhuma terá um final feliz, porque não existem finais felizes, no final de contas o final é quando as personagens partem e para ser feliz os amados não podem ficar separados... Por isso conta-me a história mais bonita que tu conheceres mas que seja feliz apenas até ao final, eu não suportarei a dor de os ver separados, sozinhos e desamparados sem o amor que recebiam do outro lado que já partiu...
Que a nossa história seja tão feliz que todo o mundo tenha inveja dela, porque ela é o meu mundo e a esse mundo só tu pertences, se tiverem inveja é porque o meu mundo é prefeito!

sexta-feira, 14 de junho de 2013

"No Segredo Dos Deuses"

Estava aqui a sonhar, a sonhar em matar inimigos! A devorá-los com os meus próprios dentes e a curar as suas feridas com uma espada do coração!
Sonho em usar as nuvens como degraus e os corpos dos deuses mortos como a escada para alcançar cada degrau!
Quero a cabeça de Tinia como troféu! Quero a cabeça dele e a dos demais, mas antes este deus dos deuses irá sofrer pelo que fez aos pobres coitados humanos que foram violados para satisfazer os seus desejos satânicos!
E condenaram-me a esta ilha solitária por beber sangue humano como se fosse água! Mas esse filho de uma grande "trovoada" estopou mulheres para que estas lhe dessem filhos quando os seus genes são incapazes de sobreviver no corpo de um mortal!
Então ele fez o mesmo com a Hasti e eu o irei castigar! A Hasti é minha e aí de quem lhe tocar!
Vou cravar a minha mão no seu peito e arrancar dele o coração depois vou cozinha-lo enquanto o deus morre ali aos meus pés e vou comê-lo! Para meu rancor, aquele coração saberá a merda! Mas nada interessa porque terei o resto do seu corpo, do qual me irei aproveitar!

Jano

terça-feira, 11 de junho de 2013

sábado, 1 de junho de 2013

Vermelho Sangue!

Vivo sempre no mesmo lugar com os olhos voltados para o céu. Vivo aqui à séculos!
Vi carroças, vi animais, vi reis e rainhas... Mas eu sou só uma pedra de calçada.
Todos os dias, o treta-neto de quem me implantou aqui pisa-me sem saber que faço parte do seu passado. Ele desconhece o busto do senhor que me deu forma e me encaixou na perfeição junto das minhas irmãs. Connosco ele fez arte com todo o carinho e emoção... Tenho pena que o tenha visto morrer. Pois caiu moribundo na quinta pedra a baixo de mim, não sei o que ele tinha, só sei que toda a calçada ficou vermelha pelo sangue jorrado. O seu corpo permaneceu naquele local quase até apodrecer. E nós pedras ficamos manchadas de sangue até ao inferno seguinte, até a chuva roubar de nós o que tínhamos de mais precioso, o sangue do nosso criador, o sangue daquele artista!