Translate

sábado, 24 de agosto de 2013

Traíste-me!

Depois de tantas discussões, tantas brigas e de tantos bons momentos juntas, entre a maquilhagem e o flash da maquina fotográfica. As nossas conversas de rapazes e de "aquela gaja é mesmo oferecida".
O incrível da situação é que estes momentos ainda me fazem sorrir, porque no fundo eu continuou a gostar muito de ti, mas o que me fizeste eu nunca irei perdoar!
Tu traíste-me! E uma traição não se perdoa.
Neste momento, não sei se sinto raiva, ódio ou nojo de ti. A única coisa que sei é que o passado sempre apagou a magoa das traições que  me foste causando durante estes 14 anos de amizade, mas isto? Não! Isto nem o melhor passado do mundo consegue perdoar!
Tu escolheste o teu destino e eu o meu, pelos vistos nenhuma de nós está interessada a levantar de novo esta amizade... Por isso, se um dia precisares de mim, sabes onde me encontrar, podes sempre chorar no meu ombro que eu irei sempre ajudar-te, mas sei que nunca receberei o mesmo vindo de ti.

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Castelo

Eu estou a sonhar! A sonhar tão alto que só tenho medo de cair na penumbra da solidão…
Ora rimos, ora brincamos ou então choramos no ombro um do outro, choramos porque nos amamos ou então porque não sabemos viver um sem o outro. Vivemos num conto de fadas, que infelizmente um dia irá acabar… Iremos pagar o preço do sussurro “não te apaixones por mim”! Mas eu não me importo de pagar esse preço com a minha própria vida desde que ela acabe nos teus braços, nos teus delgados e fortes braços que me sustentam para poder tocar o céu! E eu lá de cima toco numa nuvem negra e faço-as desabar em lágrimas de alegria por resplandecer ao ver a nossa amada euforia! E nós dementes corremos mesmo por baixo da chuva fria e quando as nossas roupas pingarem, então aí no beijamos.
Beijamos com todo o amor que sentimos um por o outro, pois aplicamos em cada beijo tanta ternura que chegaria para mudar o mundo e a galáxias mais próximas! Ora se tu que nos olhas de lado e achamas-nos parvinhos, se vivesses dentro de nós não terias inveja do amor… Há amor para toda a gente “todo o chinelo velho encontra o seu pé cansado”, mas tu só procuras salto alto, mas não tenhas inveja, inveja é feio!

Então o nosso castelo de fantasia é bem ali, no cimo daquele monte, aquele que agora é tocado pelo nevoeiro, é por isso que não vês o nosso castelo, os teus olhos estão rodeados pelo nevoeiro, mas um dia ele irá passar e tu verás o nosso castelo lá no topo e perceberás o que sofremos para o erguer, desejo-te que encontres um castelo igual ao meu e que sofras o mesmo que eu, pois só com esse sofrimento deixaras de me invejar e conhecerás o que é amar.

terça-feira, 6 de agosto de 2013

um fim

Esta é a ultima coisa que faço,
Depois de hoje, tudo enlaço...
Um tudo intermitente e diabólico,
repleto de um erro paranóico!

Não mais escorrerá sangue,
Sobre a terra que completa
a crosta terrestre. Daqui em diante
todos nós faremos a escolha certa.

A guerra só existe para escravizar,
roubar, manipular e matar!
O futuro foi escrito com palavras
alegres, e não com ideias parvas...

Tu que queres guerra, torna-te pó,
Pois saberás o que sobra de um rasto,
de destruição. Senta-te só,
e verás o puder do rebanho no pasto.

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

melodias

Leves melodias que me embalas...
Levas-me para terras distantes só com o olhar...
Amo-te tanto que já nem sei mais o significado de adorar. Eu adoro ser levada nas asas do teu mais intimo ser, pois não haverá outra maneira de voar por aí, nas sombras do mundo, sem ser nas asas do mais amado existir.
Sonho com melodias distantes alegres, doces e berrantes, assim minhas dores do mal de amar são levadas para longe do meu mais sombrio ser e eu encontro-me na sombra da tua luz, há espera que me digas que eu pertenço ao local mais especial do teu coração...
Porque, certamente, eu não poderei ser feliz se ocupar um local abaixo do que o meu coração assim quis.
Esta é a condição que nós diz que tudo o que sentimos é verdade, ocupar o espaço ideal na vida do outro.